Leucodermia solar ou gutata (sardas brancas): o que é e como tratar

As sardas brancas, chamadas cientificamente de leucodermia gutata, são pequenas manchas brancas na pele, com tamanho entre 1 a 10 mm, que, normalmente, são causadas pela exposição excessiva ao sol. Isso acontece porque os raios UV lesionam os melanócitos, que são as células da pele que produzem a melanina, substância que dá uma coloração mais escura à pele.

Os locais mais frequentes para o surgimento destas manchas brancas são os braços, as pernas, as costas e o rosto, e aparecem especialmente em pessoas a partir dos 40 anos de idade.

Embora seja normalmente uma alteração benigna da pele, as sardas brancas são sinal de que a pele não está sendo corretamente protegida contra os raios UV do sol e, por isso, é importante começar a utilizar protetor solar diariamente para evitar o surgimento de complicações mais graves como câncer de pele.

Como é feito o tratamento

O passo mais importante na prevenção e tratamento das sardas brancas consiste em utilizar diariamente protetor solar na pele exposta o sol, com fator de proteção 15, no mínimo. O ideal, quando se vai à praia, é investir num protetor solar com um índice de proteção superior, idealmente de spf 50+, e evitar as horas de maior calor, entre as 10h e as 16h.

Além disso, deve-se ainda consultar um dermatologista, que pode indicar um tratamento que pode ser feito com uso de tretinoína tópica, com laser, dermabrasão ou criocirurgia com nitrogênio líquido. Estas técnicas ajudam a remover a camada superficial da pele, promovendo a regeneração da pele sem manchas.

Existem casos, especialmente em pessoas com pele mais escura, em que as manchas podem não desaparecer completamente, mas, nestes casos, deve-se manter o uso de protetor solar para evitar agravar a situação.

Nos acompanhe também nas redes sociais: Facebook e Instagram.
Receba as dicas da Dra. Michelle