Perda de cabelos em crianças

De acordo com dados científicos, uma pessoa perde geralmente entre 100 e 150 fios de cabelo por dia, assim como a cada 24 horas cresce 0,35 mm. Essa queda capilar natural é como um ciclo programado geneticamente, a troca de todos os fios capilares ocorre entre os 3 e 5 anos da criança, mas isso pode variar de pessoa para pessoa.

A criança com queda de cabelo deve ter o seu histórico analisado. Os pais precisam observar se houve algum caso de infecção recente, a administração de algum medicamento, se houve mudança nos hábitos da criança, principalmente alimentares, entre outros fatores. Deve-se observar também a presença de casos semelhantes em outras crianças como nos casos de micoses do couro cabeludo e se há outras alterações como nos dentes e unhas o que auxilia no diagnóstico de algumas síndromes genéticas.

Praticamente todos os recém-nascidos perdem alguns ou todos os fios capilares até os seis meses de vida e essa renovação capilar é natural. A queda de cabelo em crianças de 2 anos de idade pode estar relacionada a alguma doença ou alteração genética mas vale lembrar que a maioria dos especialistas aponta que a troca capilar pode se dar por até dois anos de idade.

Já a queda de cabelo em crianças de 3-12 anos de idade pode ser reflexo de quadros mais complexos como: depressão, quadros infecciosos, algum distúrbio comportamental, crise de ansiedade e estresse. O ideal é que os pais sempre fiquem atentos e em sinal de anormalidades, levem a criança para consulta dermatológica a fim de uma devida investigação sobre o quadro de saúde.

Causas da Queda de Cabelo na Infância

1. Origem genética– Quando fatores hereditários possuem ligação com a perda capilar da criança como por exemplo a alopécia androgenética que já pode ser descrita na adolescência

2. Origem traumática – Traumas locais podem deixar cicatrizes e áreas de falha permanente no couro cabeludo

3. Origem Emocional – Fatores emocionais podem deflagrar quadros capilares em crianças como a alopécia areata e a tricotilomania

4. Fatores secundários – É quando a queda dos fios pode ter relação com a administração de algum medicamento, doença sistêmica, emagrecimento ou com alguma anormalidade na saúde da criança normalmente se manifestando com o chamado eflúvio telógeno.

Em caso de perda de fios que se mostre anormal, é importante que os pais informem o ocorrido ao pediatra para que a criança seja encaminhada a um profissional dermatologista para o tratamento adequado.

Receba as dicas da Dra. Michelle