Toxina Botulínica trata enxaqueca crônica?

 

A enxaqueca crônica afeta até 2% da população causando um grave comprometimento na qualidade de vida. Em 2006, surgiram os primeiros estudos que demonstraram sua eficácia no tratamento da enxaqueca crônica e o seu uso foi aprovado para essa indicação no Brasil a partir de 2011 pela ANVISA.

O modo de ação da toxina botulínica na enxaqueca inclui a modulação de uma série de neurotransmissores com mudanças na expressão de receptores e citocinas que participam do mecanismo da enxaqueca.

A sua eficácia no tratamento da enxaqueca crônica está cada vez mais reconhecida e em julho de 2018 foi publicado um consenso da Federação Europeia de Cefaleia orientando o uso da toxina botulínica nesses pacientes.

 
O TRATAMENTO

De forma geral, recomenda-se a aplicação da toxina botulínica na enxaqueca crônica naqueles pacientes que não responderam a pelo menos dois tratamentos medicamentosos. Entretanto, no caso de contra indicação aos medicamentos pode ser usada mais precocemente.

A aplicação é feita em 31-39 pontos específicos a cada 12 semanas. Espera-se uma redução de no mínimo 30-50% das crises de acordo com diferentes protocolos.

Quando há uma grande redução no número das crises pode-se suspender o tratamento e observar se há recorrência nos sintomas após 4-5 meses.  

 

atualizacao-medica-Michelle Diniz

 
Artigo: Bendtsen L et al. Guideline on the use of onabotulinumtoxin A in chronic migraine: a consensus statement from the European headache Federation. The Journal of Headdache and Pain (2018) 19:91.

 

Nos acompanhe também nas redes sociais:
Facebook e Instagram.
Receba as dicas da Dra. Michelle